Meditação para Iniciantes

Gostava de experimentar mas não sabe por onde começar? Vamos contar-lhe tudo.

Ideal para quem?

A meditação é para todos em todas as idades. Há escolas que promovem a meditação junto dos alunos. É edial para quem quer estar um pouco consigo mesmo, para quem precise de se ouvir e desligar do mundo exterior.

Como começar?

O primeiro passo é encontrar um espaço que nos faça sentir bem e confortáveis, pode ser em casa ou num espaço que faça meditações guiadas. Depois devemos escolher uma posição comoda: sentado ou deitado. Não deve haver barulho, nem fontes de distração. Começamos sempre por dedicar um tempo considerado razoável. Podem ser breves minutos logo pela manhã. Com a continuação, o á-vontade aumenta, tal e qual como o tempo dedicado a esta prática. Existe sempre a hipótese de colocar uma música de fundo, velas ou um incenso, crie o seu ritual.

No que consiste exatamente?

Consiste num momento único e irrepetível, no qual tentamos que nada interfira com o estado pretendido. Podemos estar de olhos fechados e apenas concentrados na respiração; de olhos abertos focados apenas focados na chama de uma vela. O essencial é trabalhar a mente, para sermos capazes de nos abstrair de tudo que possa interferir com o momento.

Qual o principal objectivo?

O objectivo principal da meditação é a presença e a consequência dela. É a felicidade, autorrealização, a tranquilidade, o autoconhecimento e muito mais que alcançamos depois da sua prática. Importa referir que só descobrimos o que é a meditação depois de começarmos, de sentirmos tal necessidade.

Quais os benefícios?

Meditar facilita a concentração, o foco, pelo que oferece benefícios como o autoconhecimento, resiliência, paz e autocontrole. Um dos principais benefícios da meditação é por exemplo ajudar a treinar a respiração em momentos de ansiedade. Assim quando acontece sabemos o que fazer.

Com que frequência se pode ou deve recorrer a meditação?

Podemos meditar sempre que quisermos. Se o fizermos todos os dias, conseguimos notar diferenças quase imediatas. Quem lida com questões como ansiedade ou ataques de panico, por exemplo, costuma notar grandes melhorias, porque aprende a tranquilizar-se.

No Hamsa todos os messes encontra meditações com temas diferentes para que trabalhar o seu eu. Conheça-se melhor.

Acompanhamentos, dê férias á batata, arroz e massa.

A cozinha tradicional portuguesa e conhecida pela presença assídua de hidratos de carbono.

Conheça melhor as outras opções disponíveis. Todos os hidratos de carbono, em particular os integrais, são conhecidos por regular o transito intestinal, a glicemia e o colestrol no sangue. São ótimos para controlar a saciedade. No entanto, uma dieta muito rica em fibras pode causar distúrbios e irritação nas paredes do tubo digestivo. A OMS recomenda 30 gramas de fibras diárias, equivalente a 20 batatas médias cozidas.

Quinoa – 367kcal/100g

Planta da região dos Andes, do Peru e Bolívia. É um alimento interessante pela quantidade de proteína e os 8 aminoácidos essenciais ao organismo. A quinoa é rica em ácidos gordos essenciais, como acido linoleico (omega 6) e linolénico (omega 3). Um dos seus pontos fortes é o elevado teor em minerais, ferro, magnésio, zinco, ácido fólico e vitamina B1. Não têm glúten por isso é indicada para celíacos. Recomendada para desportistas, crianças, grávidas, idosos e vegetarianos devido ao teor em proteína 12.2g por 100g.

Cuscuz – 355kcal/100g

Prato oriundo do norte de África e obtido apartir da semolina do trigo duro. A semolina é hidratada e amassada, aumentando os grãos de tamanho. Segue-se um cozimento a vapor e depois um arrefecimento. Posteriormente é peneirada até os grãos ficarem pequenos. Por se obtida através de trigo duro, o cuscuz tem glúten na sua composição. A sua grande versatilidade é que pode ser utilizado em refeições quentes ou frias.

Millet – 357kcal/100g

Os primeiros registos de millet vêm da Península Coreana e na cultura da Índia. Conhecido como milho painço ou milho-miúdo, é rico em ferro e vitaminas B1 e B2. O teor em fibra é um dos factores que o prestigia, visto que é importante para o funcionamento intestinal e para manutenção da saciedade. Recomendado para celíacos, uma vez que é um cereal sem glúten.

Bulgur – 349kcal/100g

É um alimento protagonista da cozinha sírio-libanesa e um dois ingredientes principais de pratos orientais como o tabulé ou o quibe. É obtido através de uma cozedura muito rápida dos grãos de trigo, que depois são secos e partidos até ficarem em pequenos pedaços. Trata-se de um alimento rico em vitamina B6 e ferro. Por derivar do trigo têm glúten. É o hidrato de carbono com mais teor de fibras.

Trigo-Sarraceno – 355kcal/100g

Semente que cresce na Europa Central (maioritariamente na Rússia), mas também na Ásia (china e Cazaquistão). Ao contrário do que o nome indica, não tem familiaridade com trigo nenhum. É da família do ruibarbo, e as espécies mais consumidas são: o trigo-serraceno comum e o trigo-sarraceno tartárico. Desperta interesse pelo teor de minerais e têm todos os aminoácidos essenciais que o organismo não consegue produzir. O interesse nutricional deve-se muito a qualidade proteica. é muito rico em magnésio, fosforo e potássio. Não têm glúten. Pode ser usado como substituo de farinhas.

ETAPAS DA HÉRNIA DISCAL

ETAPAS DA HÉRNIA DISCAL

Degeneração discal – à semelhança do que acontece no nosso corpo, os discos intervertebrais também envelhecem, perdendo hidratação, consistência e altura;

Protusão – a protusão discal é uma distensão (rompimento) do anel fibroso que envolve os discos intervertebrais;

Hérnia discal – caracteriza-se por um abaulamento do disco intervertebral, podendo provocar dor, sensação de ardor ou dormência;

Redução do espessamento – entre as vértebras existem aberturas, através das quais passam as raízes dos nervosas, chamadas forames. A redução destes espaços é uma das causas das dores sentidas na coluna;

Degeneração discal com formação de osteófitos – a degeneração discal, pode fazer-se acompanhar de formação dos popularmente conhecidos “bicos-de-papagaio”. Nada mais é do que expansões ósseas em forma de gancho que surgem pela coluna.

Em situação de dor na coluna, existem terapias e massagens para o alívio da sintomatologia que permitirão, dependendo de cada caso, alguma qualidade de vida. De qualquer forma, não dispensa consulta com o seu médico.

Comparação entre disco normal e hérnia

Tendinite no ombro? Como tratar?

Tendinite

– Tendinite do ombro

A tendinite é inflamação de um tendão, prolongamento em tecido conjuntivo de um músculo que se insere no osso e facilita o movimento das articulações. O ombro é a articulação mais móvel do corpo humano. Para o seu bom desempenho depende muito do equilíbrio dos músculos: ora tonificado, ora flexível e relaxado.

– Causas das tendinites

Postura;
Diferenças anatómicas;
Presença de calcificações
Permanência ao computador;
Trabalho com os braços acima do plano das omoplatas ou com braços em suspensão;
Prática de exercício físico inadequada ou demasiado intensa;
Trabalhos com pesos;
Movimentos repetitivos;
Genética;

– Sintomas

Dor em movimentos simples como ir buscar um objeto ao banco de trás do carro, colocar o cinto de segurança ou vestir o casaco. Pode ir agravando e começar a surgir dor noturna que impede o sono ou dificulta o adormecer.
Outra forma de apresentação é uma dor muito intensa sem causa aparente, que nos acorda de noite e não tolera nenhuma mobilização.
A terceira forma é uma conjugação das duas anteriores. Abrange pessoas que têm dores perfeitamente toleráveis em algumas atividades, não procuram tratamento e um dia têm um episódio extremamente doloroso.

– Como tratar

O tratamento passa pelo controlo da dor e da inflamação, evitando a causa que despoletou a crise, e essencialmente a recuperação do equilíbrio entre os vários grupos musculares com a ajuda da massagem e outras terapias complementares, para evitar que o quadro se repita.

Procura tratamento atempadamente: se não parares, o ombro vai fazer-te parar.